Qual a diferença OFICIAL entre Cosméticos Naturais, Orgânicos e Veganos? Descubra aqui!


Imagem: shutterstock

Hoje em dia são tantos os selos e certificações para cosméticos, que ficamos confusos e sem saber quais são de fato importantes para o que nós estamos buscando em um produto, e quais estão alinhados à nossa filosofia ou estilo de vida.

As palavras natural, orgânico, vegano e biodinâmicos remetem a ideias muito similares, são todas relacionadas à natureza, mas na verdade cada uma carrega um conceito diferente. E, vamos te explicar quais são estes conceitos.


Como a gente sabe o quanto é difícil entender todos esses selos e classificações, decidimos montar um guia completo para te ajudar a entender o que cada marca e produto oferece. É importante ressaltar que todas as explicações que colocamos aqui foram retiradas das regulamentações das próprias organizações certificadoras, as quais você pode consultar acessando diretamente os links que disponibilizamos ao final deste artigo.


Então, vamos começar pelos conceitos básicos de uma fórmula cosmética: os ingredientes.



CLASSIFICANDO INGREDIENTES


Ingredientes Naturais: Substâncias de origem vegetal, inorgânica-mineral ou animal, que não sofreram transformações químicas, mas apenas alguns processos físicos são permitidos em geral, tais como: extrações e percolações com solventes em substratos naturais, utilização de agentes de purificação, como carvão ativado, adição de compostos iônicos para pequenos ajustes de pH, entre outros.


Ingredientes Derivados Naturais: são matérias-primas de origem natural, porém que passaram por determinados processos de transformações químicas ou biotecnológicas, mas que oferecem riscos mínimos à saúde. Seu uso é justificado devido ao fato de possibilitarem funções não oferecidas por ingredientes puramente naturais e não processados. Um exemplo é a classe de substâncias conhecida como tensoativos ou surfactantes, pois somente esses compostos de ação detergentes são capazes de efetuar a interação entre sujeira/gordura + água, funcionando como um agente de limpeza em sabões e sabonetes, ou um emulsionante, ingrediente responsável por misturar óleos e água e assim formar cremes e loções (emulsões).


CLASSIFICANDO PRODUTOS FINAIS


A legislação brasileira, assim como a européia e a norte-americana, não possui uma classificação oficial para cosméticos naturais. Quem faz isso, são organizações independentes não-governamentais com o objetivo de manter a segurança e proteger os interesses dos consumidores desse tipo de produto.


Empresas Certificadoras para Cosméticos Naturais e Orgânicos

As organizações certificadoras para cosméticos naturais e orgânicos mais conhecidas local e mundialmente são:

Ecocert: instituição francesa, uma das maiores organizações com atuação local e internacional de inspeção e certificação de produtos orgânicos. Seu selo mais utilizado para a área cosmética é o COSMOS e suas derivações natural ou orgânico.


IBD: empresa brasileira, maior certificadora da América Latina para produtos orgânicos, naturais e políticas sustentáveis.


Natrue (The International Natural and Organic Cosmetics Association): fundada em Bruxelas, trata-se de uma associação internacional, sem fins lucrativos, comprometida em promover e proteger os cosméticos naturais e orgânicos ao redor do mundo.



Cosméticos Naturais - Classificações


Natrue

De acordo com a Natrue, para um cosmético ser considerado natural, a concentração média de ingredientes naturais para um produto rico em água, como cremes e loções, é de 10% e 25% de derivados naturais. Para sabonetes líquidos esse percentual fica em 3% de naturais e 85% de derivados naturais, haja visto a necessidade do uso de tensoativos, ingredientes que não existem originalmente na natureza, mas sim precisam de uma transformação química para sua produção. Sabões: 1% natural e 99% derivado natural.

O IBD utiliza o selo Natrue para sua certificação de cosméticos naturais. Contudo, além dele, para produtos finais que não podem ser classificados como natural, também podem usar o próprio selo IBD apenas para notificar que dentro daquele produto existem de fato ingredientes naturais.


Ecocert

Para o caso dos cosméticos naturais, não é exigido um percentual mínimo de ingredientes orgânicos e ainda é tolerável uma pequena utilização de ingredientes derivados de frações petroquímicas. Nesse caso o selo COSMOS NATURAL é aplicado e a concentração declarada de ingredientes de origem natural precisa ser informada no rótulo.



Cosméticos Orgânicos - Classificação


Natrue

No caso dos cosméticos orgânicos, as exigências são ainda maiores e mais rigorosas com relação à origem dos ingredientes.

De acordo com a Natrue e a legislação brasileira, para um cosmético ser classificado como orgânico, é necessário que a formulação do produto seja composta por pelo menos 95% de matérias-primas de origem orgânica certificada. Caso o produto final não possa ser classificado como orgânico, para ao menos receber a classificação 'Feito com Ingredientes Orgânicos', a concentração mínima exigida de matérias-primas orgânicas é de 70%.


Ecocert - COSMOS ORGANIC

Para produtos orgânicos: pelo menos 20% da composição total do produto precisa ser oriunda de cultivo orgânico, com exceção de produtos enxaguáveis, produtos aquosos não-emulsionados, como sabonetes líquidos transparentes e produtos com pelo menos 80% de origem mineral*, como algumas maquiagens. Nestes casos a concentração mínima deve ser 10% de origem orgânica.

Isso significa, que mesmo em produtos orgânicos, uma porcentagem de ingredientes químicos (transformados à partir do cultivo orgânico), é permitida, caso contrário a produção de muitos produtos cosméticos seria inviabilizada, situação dos cremes e loções, sabonetes, perfumes e produtos alcoólicos que, para existirem é necessária a presença de ingredientes quimicamente sintetizados.


É importante destacar que a classificação natural ou orgânica não é composta apenas por ingredientes vegetais, mas também animais, tais como, lanolina, cera de abelha, mel, própolis, ácidos graxos, etc. A classificação que exclui os ingredientes derivados de animais é a vegana, sobre a qual vamos falar mais a seguir. Portanto, um cosméticos natural ou orgânico não é necessariamente vegano, por isso muitos produtos carregam mais de uma certificação.


COSMÉTICOS VEGANOS

Cosméticos veganos não são categorizados de acordo com a presença, ou não, de ingredientes naturais ou orgânicos. O que importa para a classificação vegana é a presença de ingredientes de origem animal, mesmo que indireta, como sua utilização durante processos de fabricação de ingredientes sintéticos ou mesmo vegetais. Além disso, a não realização de testes em animais, seja dos ingredientes utilizados na formulação ou do produto final, também é uma exigência.


Aqui é importante frisar que para ser considerado vegano, um cosméticos não necessariamente precisa ser natural ou orgânico. Um produto inteiramente sintético, mas que não possui nada de origem animal e que não realizou testes em animais pode ser classificado como vegano.


CRUELTY FREE, O QUE É?


O termo Cruelty Free, que significa Livre de Crueldade, é aplicado para os produtos cosméticos de qualquer tipo - independente de serem naturais, orgânicos, veganos ou sintéticos - que apenas não tiveram as fórmulas de seus produtos finais testados em animais.


Essa certificação é necessária, pois, infelizmente, na indústria cosmética ainda é normal a prática de testes em animais, lhes impondo grande sofrimento ou até mesmo sua morte. O objetivo desses testes é garantir a segurança de uso em humanos.

Existem várias metodologias diferentes para realizar esses testes de segurança, porém os testes em animais são os mais escolhidos por oferecerem custos mais baixos em relação à processos mais avançados tecnologicamente, ou a até mesmo em relação à condução de testes nos próprios humanos, o que, não oferecendo graves riscos à saúde, seria o mais adequado, já que trata-se do consumidor final de fato.

Importante: um cosmético Cruelty Free pode conter ingredientes de origem animal, tais como cera de abelha, mel, lanolina, leite, proteínas da seda, etc, contanto que a fórmula do produto final não tenha sido testada em animais. Cruelty Free não é sinônimo de Vegano, este último possui maiores restrições em relação ao bem-estar animal. A principal diferença é que o Vegano leva em consideração até mesmo a origem dos ingredientes, enquanto o Cruelty Free, não, apenas a fórmula do produto final.

Empresas Certificadoras para Cosméticos Veganos e/ou Cruelty Free

Dentre as principais organizações certificadoras de cosméticos veganos e cruelty free, nacional e internacionalmente reconhecidas, se encontram:


Sociedade Vegetariana Brasileira: fundada em 2003, a associação promove o vegetarianismo como uma opção de estilo de vida mais saudável, sustentável e socialmente justo. Por meio de campanhas e parcerias, realiza a conscientização sobre os benefícios do vegetarianismo e trabalha para aumentar o acesso da população a produtos e serviços vegetarianos e/ou veganos.


The Vegan Society: uma das associações mais antigas, estabelecida em 1944 e fundada no Reino Unido, a Vegan Society criou um dos selos veganos mais famosos, reconhecido mundialmente e utilizado desde de 1990 para ajudar as empresas do setor a demonstrar que seus produtos atendem aos requisitos de bem-estar animal estabelecidos pela organização.


PETA (People for the Ethical Treatment of Animals): maior ativista e maior organização mundial de defesa dos direitos dos animais, possuindo mais de 6 milhões de apoiadores e presente em mais de 9 países. Seu programa Beauty Without Bunnies certifica empresas cosméticas que garantem que toda a sua cadeia produtiva atendem aos requisitos de não realização qualquer tipo de testes em animais, além da não utilização nenhum de seus ingredientes derivados.


Leaping Bunny Program (Coalition for Consumer Information on Cosmetics): coalizão formada por diversas organizações sediadas no Canadá e nos EUA, que lutam para proteger o bem-estar e os direitos dos animais, dedicada especialmente à area cosmética. A CCIC promove padrões internacionalmente reconhecidos e certifica empresas e produtos animal friendly, afim de facilitar a compra e a confiabilidade por parte do consumidor.

Choose Cruelty Free: fundada em 1993, é uma organização independente, sem fins lucrativos sediada na Austrália, que promove campanhas ativas para o fim da realização de testes em animais e criou seu selo para ajudar os consumidores a decidirem suas compras de modo mais ético.


No caso das certificadoras veganas e cruelty free, todas elas exigem, basicamente, os mesmo critérios para a aquisição de seus selos, modificando, apenas, os processos para a obtenção dos mesmos.



AGRICULTURA BIODINÂMICA - UM DETALHE A MAIS SOBRE OS INGREDIENTES

Foto por Flora Westbrook

A agricultura biodinâmica se assemelha mais ao cultivo orgânico, tendo apenas como foco certificar a qualidade dos ingredientes e não os produtos finais em si, e isso independente de serem de origem vegetal ou animal.


Esse método está fundamentado na economia circular, na qual o agricultor deve ter uma quantidade de animais exata ao que ele é capaz de alimentar com sua própria terra. O esterco originário dessa criação é o responsável por fornecer a alta fertilidade do solo, que consequentemente será mais saudável e produzirá alimentos de melhor qualidade para os seres humanos, além de reduzir a necessidade do uso exagerado de fertilizantes artificiais e agrotóxicos. É um processo interdependente harmonioso, no qual todos trabalham juntos: planta, solo, animal e humano.

Dessa forma, utilizar ingredientes cosméticos provenientes desse tipo de agricultura garante uma qualidade superior ao produto final.


Certificadora da Agricultura Biodinâmica

No caso da agricultura biodinâmica, o órgão certificador mais conhecido é o Demeter e aqui no Brasil ele é implementado, também, pelo IBD.




O JEITO AMVÏ DE FAZER COSMÉTICOS NATURAIS


É claro que todos esses selos são muito importantes, pois nos ajudam a ter uma segurança maior sobre o que estamos aplicando em nossa pele. Aqui na Amvï, nós também buscamos adquirir matérias-primas que possuam tais certificações. Contudo, nós escolhemos ir além!


Como nosso objetivo não é apenas sermos naturais, mas sim realmente seguros, eficazes e prazeroso de usar, precisamos formular com inteligência, mantendo a classificação e o fundamento natural, mas ao mesmo tempo garantindo ainda mais segurança e performance em nossos produtos.


Você sabia que existem ingredientes naturais que oferecem mais riscos à nossa saúde do que um sintético? Um exemplo disto é o ingrediente Álcool Benzílico (INCI: Benzyl Alcohol) um dos conservantes mais utilizados pelas marcas de cosméticos naturais e orgânicas, permitido pelos órgãos certificadores, porém com um potencial tóxico e irritante que pode ser mais elevado do que o sintético fenoxietanol (INCI: phenoxyethanol), classificado pela legislação européia e japonesa como seguro para uso até mesmo em produtos para bebês. Além disso, a maioria dos conservantes tidos como "naturais", apresenta um desempenho mais fraco em relação ao combate e controle bacteriano e fungicida, deixando os cosméticos mais vulneráveis à contaminação microbiológica.


Outra situação bastante comum é a utilização de óleos essenciais, ingredientes incríveis, mas que, apesar de seus benefícios, também possuem potencial alergênico mais elevado do que muitas fragrâncias sintéticas livre de tóxicos e/ou hipoalergênicas. Os óleos essenciais são compostos por inúmeras substâncias nem sempre conhecidas, enquanto os componentes de uma fragrância sintética são sempre estudados e aprovados dentro da legislação. Abordamos mais sobre esse assunto nesse artigo que fala dos perigos envolvendo as fragrâncias sintéticas.

São por essas razões que nos classificamos como Beleza Natural Inteligente. A segurança e os benefícios dos ingredientes naturais são a base de nossa filosofia e vêm em primeiro lugar para nós, e por isso somos considerados cosméticos naturais, já que atendemos e até superamos as exigências de concentrações mínimas de ingredientes naturais estipuladas pelas organizações. Quase a totalidade de nossos produtos é composta por ingredientes naturais ou de origem natural. Entretanto, nós não nos restringimos a isso, pois sabemos que dentro desse mesmo grupo também existem os riscos, além das limitações de tecnologia e efetividade de resultados.


Dessa forma, decidimos unir à natureza ao que há de mais moderno e seguro na tecnologia cosmética. Incorporamos pequeninas quantidades de ingredientes sintéticos limpos para garantirmos eficácia, resolvendo o seu problema de pele e proporcionando experiências sensoriais mais gostosas, com texturas e fragrâncias sofisticadas, entregando momentos de bem-estar emocional.


Ah, e claro! Somos Veganos e Cruelty Free certificados pela PETA. Também estendemos a nossa filosofia de amor à vida, aos animais, se assim não fosse, nada disso faria sentido em um mundo que grita por mudanças para um estilo de vida mais ético e saudável para todos.

Conheça nossos produtos clicando aqui.


REFERÊNCIAS:

https://www.natrue.org/

http://www.brazil.ecocert.com/referencial-cosmos-para-cosmeticos-naturais-e-organicos/index.html

https://www.demeter.net/certification

https://www.ibd.com.br/certificacoes/

https://www.cosmos-standard.org/

https://www.projetodemeterbrasil.com/blank

https://www.svb.org.br/

https://www.selovegano.com.br/

https://www.peta.org/living/personal-care-fashion/beauty-without-bunnies/

https://www.leapingbunny.org/

https://www.vegansociety.com/

https://www.choosecrueltyfree.org.au/

0 visualização

Junte-se a nossa família!

Assine nossa newsletter e receba conteúdos exclusivos em primeira mão!

© 2020 Entre a Pele - by Amvï Cosméticos Naturais

  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone Instagram