Junte-se a nossa família!

Assine nossa newsletter e receba conteúdos exclusivos em primeira mão!

© 2020 Entre a Pele - by Amvï Cosméticos Naturais

  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone Instagram

Substâncias Químicas Sintéticas em Cosméticos são Realmente Perigosas?


Imagem: Shutterstock

Nos dias de hoje, as informações se atualizam muito rapidamente e uma infinidade de novas descobertas e estudos científicos são lançados e divulgados todos os dias. No entanto, a questão que fica é: como saber se determinada informação que está sendo divulgada é verdadeira?

Um desses tópicos recentes que encontramos estava abordando sobre como funciona a absorção cutânea das mais diversas substâncias, no qual constava a informação de que a pele humana absorve em torno de 60 a 70% de todos os componentes aplicados sobre ela. Entretanto, de acordo com nossas pesquisas, essa não é uma informação que corresponde à realidade e a seguir nós vamos explicar o porquê.

FUNÇÕES DA PELE

Uma pele saudável desempenha muitas funções essenciais para a manutenção da saúde de nosso organismo, dentre as quais vamos destacar as principais:

  • Proteção;

  • Controle da temperatura corporal;

  • Ajuste da entrada e saída de nutrientes;

  • Regulação da perda de água e

  • Realização de processos excretórios.

SOBRE A FUNÇÃO DE PROTEÇÃO

Para entendermos melhor o que é capaz de penetrar, ou não, a barreira de nossa pele, precisamos falar um pouco mais sobre a função de defesa que esse órgão desempenha.

Nossa pele constituí uma barreira física que, além de proteger contra choques mecânicos (impactos) suportado pelo tecido adiposo (camada de gordura), também impede a entrada de vírus, bactérias e substâncias nocivas, que podem prejudicar a nossa saúde, causando infecções, intoxicações e até mesmo alterações fisiológicas. É sobre essa última característica que vamos nos aprofundar um pouco mais a seguir.

Mas antes, é necessário compreendermos melhor a estrutura da nossa pele.

ENTENDENDO AS CAMADAS DA PELE

A pele humana é composta por três camadas principais básicas, conforme a figura abaixo:

Figura 1: Imagem esquematizando um corte histológico da pele, evidenciando suas camadas básicas.

1. Epiderme: camada mais externa, composta principalmente por lipídeos e células altamente queratinizadas, chamadas queratinócitos, os quais formam uma forte barreira protetora que regula a perda de água subcutânea, evitando que a pele se torne seca, áspera e suscetível à entrada de microrganismos e substâncias nocivas.

2. Derme: camada intermediária, localizada logo abaixo da epiderme. É constituída por tecido conjuntivo, no qual são abrigados vasos sanguíneos, nervos e anexos epidérmicos, como folículo piloso, por exemplo.

Tem como funções principais a regulação da temperatura corporal e a transmissão de sensações táteis.

3. Hipoderme (Tecido Subcutâneo): camada mais profunda, composta basicamente por células de gordura (adipócitos), vasos e nervos. Suas principais funções são: reserva calórica, proteção mecânica contra impactos e isolamento térmico.

TAXA DE ABSORÇÃO

Falando um pouco mais sobre a epiderme, é importante observarmos que sua estrutura formada por células mortas (queratinócitos) altamente coesas e ligadas por uma substância lipídica é o que torna a pele praticamente impermeável, dificultando ao máximo à entrada de corpos estranhos à biologia natural de nosso corpo.

Essa proteção cutânea é tão forte e bem desempenhada pela nossa pele, que um dos maiores desafios da indústria cosmética e farmacêutica é justamente o desenvolvimento de tecnologias que facilitem a penetração de compostos ativos, como fármacos e vitaminas, já que a administração tópica transdérmica permite a aplicação da substância ativa no local direto de ação, reduzindo os riscos da administração sistêmica (via oral e parenteral, por exemplo), a qual expõe todos os órgãos do corpo a possíveis efeitos indesejados.

Além disso, a capacidade de absorção de nossa pele varia muito de pessoa para pessoa, pois condições como, doenças, idade, sexo, condição genética, etnia e estado da pele, impactam diretamente o correto funcionamento da barreira cutânea, podendo facilitar ou dificultar a permeação dos compostos.

NOSSA PELE TAMBÉM TEM FUNÇÃO DETOX

Imagem: shutterstock

Há ainda outra função dérmica muito relevante nessa história sobre o que vai para dentro de nosso corpo. Como já falamos no começo deste artigo, a pele humana também possui a função de excreção, ou seja, de expelir do interior do corpo produtos resultantes do metabolismo cutâneo, substâncias estranhas (também chamadas de xenobióticos), e microrganismos nocivos à nossa saúde. Com isso, quando um desses componentes entra em contato com a nossa pele, muito frequentemente o resultado desse encontro é o processo de desintoxicação desses químicos, realizados por enzimas metabólicas naturalmente presentes na pele.

Isso significa que, mesmo com toda a dificuldade que a barreira cutânea oferece à entrada de substâncias em nosso corpo, caso isso ocorra, o próprio mecanismo de excreção da pele atua para expulsar esse composto estranho/nocivo de dentro de nós, ou seja, o corpo humano é altamente capacitado para reconhecer as substâncias que nos fazem mal e assim expulsá-las para que a nossa saúde seja minimamente impactada.

A QUÍMICA DAS SUBSTÂNCIAS

Além dessas razões, ainda há o fato de que cada composto possui uma capacidade específica de permeação, que varia de acordo com sua conformação e composição química particular, como seu tamanho molecular e as características de solubilidade, o que faz com que algumas substâncias penetrem mais facilmente, outras menos e muitas nem ao menos sejam absorvidas.

Substâncias biologicamente compatíveis como o nosso corpo, possuem mais facilidade de penetração e entre elas podemos destacar: ácidos graxos, ceramidas, colesterol, fosfolipídeos, ácido láctico, etc. Essas substâncias já se encontram naturalmente presentes em nosso organismo e por isso possuem elevada afinidade com nosso manto hidrolipídico, sendo indispensáveis à nutrição celular.

O QUE PODEMOS CONCLUIR?

Agora que já entendemos como funciona nossa pele e como os compostos interagem com ela, podemos concluir que, sim, existe absorção de substâncias através desse órgão, porém, devido a sua complexidade, essa penetração ocorre de modo altamente seletivo e por processo bastante lento e complicado.

Para o caso daqueles componentes estranhos que conseguiram penetrar, a maior parte destes ainda será metabolizada e posteriormente expelida pelo processo natural de desintoxicação de nossa pele, sobrando muito pouco para atingir a corrente sanguínea e assim se difundir pelo nosso corpo, oferendo, dessa forma, riscos consideravelmente baixos à nossa saúde.

Dessa maneira, acreditamos que o posicionamento equilibrado na escolha dos produtos que iremos usar, seja fundamental. Devemos, de fato, buscar reduzir o uso de substâncias já comprovadamente tóxicas, porém sem a necessidade de excluir completamente o uso de outros insumos sintéticos seguros à nossa saúde, já que tais substâncias são capazes de potencializar os resultados gerais das formulações cosméticas e inclusive dos próprios benefícios proporcionados pelos ingredientes naturais, sem oferecer riscos.

Equilíbrio é o fundamento da vida!


Leia. Critique. Pesquise. Escolha seus produtos com consciência!

REFERÊNCIAS:

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK10037/ https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC1947480/pdf/canmedaj01582-0072.pdf https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5946800/ https://jpharmsci.org/article/S0022-3549(15)50316-X/pdf https://link.springer.com/article/10.1023/A:1016340423079 https://www.cosmeticsandtoiletries.com/testing/invitro/premium-The-Effect-of-Skin-Metabolism-on-the-Absorption-of-Chemicals-201264171.html https://www.aad.org/public/kids/skin/the-layers-of-your-skin

#quimicos #toxicos #ingredientes #cleanbeauty #sinteticos #cosmeticos

74 visualizações