Óleos Vegetais x Óleo Mineral | Qual é o melhor para a beleza? Entenda as Diferenças!


Forte tendência do momento, vegetalizar ou naturalizar fórmulas cosméticas é o que as empresas do setor prometem fazer e os principais ingredientes por onde começar, assim como os que mais atraem a atenção do consumidor são os óleos.

Imagem comparativa: óleo vegetal (esq.) x óleo mineral (dir.)

Muito em moda no momento, os óleos caíram nas graças dos consumidores de cosméticos e sua fama não é atoa, é uma substância muito aclamada desde os tempos antigos, diríamos até ancestrais. Os óleos vêm sendo utilizados com sucesso desde as antigas civilizações, como a egípcia e a romana, passando por todos os continentes e pelas mais diversas culturas, o que faz com que essa matéria-prima possua também um forte apelo emocional, pois é passada como segredo de beleza de geração em geração. Contudo, com o avanço tecnológico e alta exploração do petróleo, surgiu no mercado o óleo mineral, que devido ao seu processo produtivo em larga escala, apresenta custo relativamente baixo, e por isso passou a ocupar, durante muitos anos, posição de elevada importância no desenvolvimento de todo o tipo de formulação cosmética.

Vantagens e Desvantagens dos Óleos Mineral e Vegetal

O óleo mineral, como já mencionado anteriormente, apresenta baixo custo devido a sua ampla produção e utilização, e os motivos pelo seu elevado uso são: ser incolor e praticamente inodoro, não impactando a coloração final de um creme e nem apresentando incompatibilidade com qualquer tipo de fragrância que se possa adicionar a fórmula. Além disso, o óleo mineral, como a maioria dos óleos, cumpre o seu papel de formar um filme sobre a pele reduzindo a perda de água dos tecidos (Perda de Água Transepidérmica, ou em inglês, Transepidermal Water Loss (TEWL) e melhorando o nível de hidratação da pele.

Então o que o difere de um óleo vegetal?

Os óleos vegetais, em sua grande maioria, apresentam cor e odor característicos, exigindo do formulador maiores conhecimentos para atingir um resultado satisfatório. Contudo, assim como o óleo mineral, também formam filme lipídico sobre a pele, reduzindo a perda de água e melhorando a hidratação.

A principal característica que diferencia os óleos vegetais do mineral e o que tem feito com que o primeiro seja preferido em relação ao segundo, é o fato de eles apresentarem uma rica composição de ácidos graxos, vitaminas e minerais, componentes vitais à manutenção da saúde da pele, enquanto o óleo mineral é completamente isento desses compostos. Tais componentes fornecem propriedades antioxidante, hidratante, reparadora, regeneradora, sustentadora e protetora, pois nutrem e auxiliam o correto funcionamento das células epidérmicas.

Outra questão a se considerar é que, como a variedade de óleos vegetais é muito grande, também existem os que são bastante suaves e empregados com sucesso em pessoas alérgicas e de peles sensíveis. Ainda, devido ao desenvolvimento e melhora dos processos industriais, vêm sendo possível reduzir consideravelmente as características indesejadas desses óleos, facilitando sua aplicação e desempenho nos produtos cosméticos.

Por essas razões e pelo fato de os óleos vegetais serem provenientes de fontes NATURAIS renováveis, a AMVÏ, escolheu trabalhar com eles. Permitindo assim, aos nossos clientes, fazer escolhas mais saudáveis e que tragam ainda mais benefícios à beleza e saúde de sua pele.

QUER SABER MAIS? ENTÃO BAIXE E-BOOK GRATUITO E ACESSE CONTEÚDO COMPLETO!

Descubra em nosso e-book:

  • Qual a origem desses óleos;

  • Quais os impactos ambientais que causam;

  • Como cada um age na pele e nos cabelos;

  • Quais riscos oferecem à sua saúde.

#DerivadosdoPetróleo #Ingredientes #ÓleosVegetais #ÓleoMineral #Lipídeos

1,156 visualizações

Junte-se a nossa família!

Assine nossa newsletter e receba conteúdos exclusivos em primeira mão!

© 2020 Entre a Pele - by Amvï Cosméticos Naturais

  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone Instagram