Óleos Faciais - Como agem na pele e porque são tão eficazes.


Ta aí um produto que você já deve ter visto pipocar nas redes sociais e prateleiras das lojas de beleza. Muitas marcas estão lançando óleos naturais e garantindo benefícios tentadores à sua pele, mas será que essa nova moda vale mesmo todo esse barulho? Nós te afirmamos que sim! E trazemos estudos mostrando que os resultados são reais e comprovados.


Não é à toa que os óleos botânicos são tratamentos de beleza ancestrais milenares, fazendo parte da história de praticamente todas as civilizações do planeta. Fala a verdade, com certeza você também tem uma avó, tia ou mãe que usa algum e jura por tudo, que faz milagres, seja aplicado nos cabelos, no corpo e, especialmente, no rosto.


Por isso, no artigo de hoje nós vamos falar sobre os óleos vegetais carreadores, também conhecidos como óleos fixos, e vamos deixar os óleos essenciais para um outro momento. Queremos te explicar as razões de esses ingredientes serem tão eficazes e como eles funcionam, de fato, na pele, para você se convencer de uma vez por todas que ter um produto desses para chamar de seu, é fundamental se o que você está buscando é uma pele bem mais bonita e saudável.

Ó óleo certo, ou uma boa composição de óleos botânicos (o que é ainda melhor!), é capaz de fazer uma diferença marcante em qualquer tipos de pele.


ENTENDENDO A CÉLULAS DA PELE


Para que você entenda como os óleos funcionam na pele, antes é necessário compreender a estrutura básica da maior parte das células cutâneas, bem como os principais componentes da camada mais externa da epiderme, o estrato córneo. Essa camada é quem realiza a interação direta entre nosso corpo e o ambiente ao nosso redor, sendo, por esse motivo, responsável pela função barreira, de proteção da pele.


Como um dos principais objetivos de nossa pele é nos proteger contra a desidratação e a entrada de substâncias tóxicas e microrganismos patogênicos, essa camada é composta por uma elevada quantidade de proteínas e lipídios - parecendo uma parede de tijolinhos com cimento - que realizam a impermeabilização cutânea, dificultando, dessa maneira, a passagem e absorção de qualquer componente, inclusive de nossos queridos produtos cosméticos.


As células cutâneas, em geral, possuem uma membrana protetora também de caráter gorduroso, conhecida como bicamada lipídica. Essa bicamada, como o próprio nome já diz, é estruturada por uma dupla camada de moléculas fosfolipídicas que controlam a passagem de substâncias do exterior para o interior das células. Portanto, de acordo com as leis da química, um composto que também possua caráter oleoso (apolar), nesse caso, terá maior afinidade e, logo, mais facilidade e velocidade de absorção através dessa bicamada gordurosa, do que um composto polar como a água, uréia, glicerina e algumas vitaminas hidrossolúveis como a C (ácido ascórbico), por exemplo.

Dessa maneira, conseguimos entender porque os óleos vegetais são capazes de realmente permear a barreira cutânea, se dispersando através dos lipídeos intercelulares, bem como atravessando a membrana celular, sem causá-la prejuízos ou irritações, isto tudo por serem química e biologicamente semelhantes a composição natural de tais células. Com isso, os óleos são capazes de levar seus nutrientes nos locais necessários para serem utilizados e metabolizados, nutrindo a pele em profundidade.

Além de toda essa afinidade natural que os óleos vegetais possuem com a nossa pele, esses ingredientes ainda são muito ricos em elementos nutricionais. Os principais componentes encontrados nos óleos vegetais, responsáveis pelos benefícios terapêuticos são: ácidos graxos essenciais saturados e insaturados, triglicerídeos, esteróis, fosfolipídios, ceras, esqualano, ceramidas, compostos fenólicos, carotenóides e tocoferóis, precursores naturais das vitaminas lipídicas A e E, respectivamente, entre outros.


OS BENEFÍCIOS QUE OS ÓLEOS NOS PROPORCIONAM


Agora que já conhecemos os constituintes principais dos óleos vegetais e sabemos que, de fato, possuem maior biocompatibilidade com a nossa pele, sendo absorvidos de modo mais efetivo, vamos entender o quão fascinantes são os benefícios terapêuticos promovidos por esses nutrientes que compõe os óleos botânicos.


Propriedades Anti-inflamatórias: estudos apontam que a presença dos ácidos graxos linoleico (ômega 6) e linolênico (ômega 3) é capazes de reduzir as inflamações nos tecidos cutâneos e assim aliviar irritações e outras desordens inflatórias, como acne, dermatites e psoríase. Exemplos de óleos ricos em ômega 6 são, girassol, argan, gérmen de trigo e semente de uva. Por sua vez o ômega 3 é encontrado em abundância nos óleos de rosa mosqueta, camelina e prímula.


Propriedades Antioxidantes: os tocoferóis, carotenóides e compostos fenólicos são responsáveis por neutralizar os radicais livres liberados pelo estresse oxidativo da pele, causado por má alimentação (com excesso de doces e carboidratos) e exposição solar, por exemplo, reduzindo o dano celular, a degradação das fibras de colágeno e elastina, e assim combatendo os efeitos do envelhecimento cutâneo.

Óleos de abacate, calêndula, rosa mosqueta e espinheiro marítimo são muito ricos em carotenóides, já os óleos de gérmen de trigo e girassol possuem uma boa quantidade de tocoferóis, enquanto os de romã, açaí e oliva carregam um alto teor de polifenóis.


Propriedades Regenerativas: os ômegas 9 são reportados como sendo agentes favorecedores da cicatrização e regeneração de feridas, estimulando a produção de novas fibras de colágeno, e assim, melhorando também, o efeito tensor cutâneo. Exemplos de óleos vegetais ricos em ácido oleico são, oliva, castanha do pará, macadâmia, avelã e amêndoas.


Propriedades Reparadoras: Quando aplicado à pele, o ácido linoleico desempenha um papel direto na manutenção da integridade da função barreira, mantendo-a saudável, protegida e funcional, reduzindo, dessa maneira, a desidratação e impedindo a entrada de substâncias irritantes, vírus e bactérias. Peles com dermatites e acne, por exemplo, em geral possuem um desequilíbrio em sua composição natural graxa, o que compromete sua função barreira, sendo, por isso, muito importante utilizar óleos que reponham esse nutriente perdido e restabeleçam a saúde da pele.


QUEM PODE USAR ÓLEO FACIAL


Além desses benefícios gerais que acabamos de listar, cada planta possui uma composição específica de substâncias que podem somar ainda mais benefícios, como efeito detox, encontrado no chá verde; melhora da aparência de manchas, promovido pelo ácido palmitoleico presente na macadâmia; o controle da oleosidade que o maracujá pode proporcionar, e assim por diante.


Com todos esses benefícios e pela grande variedade que apresentam, podemos te garantir que existem óleos para todo e cada tipo de pele, até mesmo para as oleosas, pois como você pode compreender ao longo de nosso artigo, lipídios são parte fundamental dos compostos orgânicos produzidos naturalmente pelo nosso próprio corpo para termos uma pele mais bonita, saudável e protegida.


São por essas razões que nós recomendamos fortemente que você adicione óleos vegetais, à sua rotina de beleza. Você vai notar uma bela diferença e sentir que sua pele estará mais lisa, macia, resistente e uniforme, além, é claro, do brilho lindo e viço natural que garantem aquele aspecto jovial.

REFERÊNCIAS:

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2835894/

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4920276/

https://www.nature.com/articles/s41598-019-40913-y

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK26871/

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK26815/

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5796020/

https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/28526097/


0 visualização

Junte-se a nossa família!

Assine nossa newsletter e receba conteúdos exclusivos em primeira mão!

© 2020 Entre a Pele - by Amvï Cosméticos Naturais

  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone Instagram